R S Thomas – Charneca

É bela e calma;                 o ar rarefeitocomo o interior de uma catedral esperando uma presença. É também onde                  ocorre o tartaranhão,materializando-se do nada, neve- suave, mas com garras de fogo,                   … Continue lendo R S Thomas – Charneca

Antonio Cicero – O livro de sombras de Luciano Figueiredo

O livro de sombras de Luciano Figueiredo 1 Para onde vou, de onde vim? Não sei se me acho ou me extravio. Ariadne não fia o seu fio à frente, mas sim atrás de mim. Não será a saída um desvio e o caminho o verdadeiro fim ? 2 Não é hora de regressos Não … Continue lendo Antonio Cicero – O livro de sombras de Luciano Figueiredo

Jane Hirshfield – Hoje, outro universo

O arborista determinou:senescência         pragas        cancroacelerado pela seca|                                    mas, em qualquer caso,não podável       não tratável       não passível de escoras. E assim. O ramo de onde gritam o gavião-miúdo e … Continue lendo Jane Hirshfield – Hoje, outro universo

Ahmad ‘Abd al-Mu’ti Hijazi – Morte súbita

trago comigo o meu número de telefoneo meu nome e endereçoe assim se de súbito cair mortopodereis identificar-mee meus amigos virãoFancy, aconteça o que acontecernão venhas.ficarei na morgue duas longas noitesfrios fios de telefone agitar-se-ão na noite.a campainha começará.sem resposta… uma vez… duas.alguém irá ter com a minha mãee lhe dirá que eu morriminha mãe … Continue lendo Ahmad ‘Abd al-Mu’ti Hijazi – Morte súbita

Galway Kinnell – Aquela noite silenciosa

Eu voltarei àquela noite silenciosaem que nos deitamos juntos e conversamos em vozes baixas, silenciosas,enquanto do lado de fora caíam lentos fragmentos de nevesuave, silenciando ao se aproximar do solo,com um incêndio no quarto, onde séculosde árvores evolaram-se em contínuas almas-ausentando-se,sem um estalido, até a luz da manhã.Só dormimos quando o que se apressava mais … Continue lendo Galway Kinnell – Aquela noite silenciosa

Barbara Crooker – No meio

de uma vida que é tão complicada quanto a de todo mundo,batalhando por equilíbrio, equilibrando o tempo.O relógio de lareira que foi do meu avôparou às 9:20; não tivemos tempode conserta-lo. O pêndulo de bronze está imóvel,os sinos não soam. Um dia eu olho pela janela,verde verão, no outro, as folhas já caírame um céu … Continue lendo Barbara Crooker – No meio

Sophia de Mello Breyner Andresen – Ausência

Num deserto sem águaNuma noite sem luaNum país sem nomeOu numa terra nua Por maior que seja o desesperoNenhuma ausência é mais funda do que a tua. Conheça outros livros de Sophia de Mello Breyner Andresen clicando aqui

Juan Vicente Piqueras – O testemunho do gajeiro

Para falar a verdade, pareceu-me outro gesto de presunção,muito dele,aquela urgência com que nos pediuque o amarrássemos ao mastropara escapar do canto das sereias.As sereias estavam cantando, isso é verdade,mas não exatamente para seduzi-lo.E por que não a qualquer um de nós?Por que elas deveriam tentar seduzir alguém?Quem pode garantir que não estavam simplesmente cantando?Ou que … Continue lendo Juan Vicente Piqueras – O testemunho do gajeiro

Nelson Santander – O dia em que meu pai ouviu a voz de Deus

O conhecido escritor de ficção científica Arthur C. Clarke formulou três "leis" acerca da relação entre o homem e a tecnologia que ficaram muito famosas. Dentre elas, a mais conhecida é a terceira, que reza: "Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia." Lembrei dessa Lei quando, em um certo domingo, fui visitar meus pais. … Continue lendo Nelson Santander – O dia em que meu pai ouviu a voz de Deus

Gastão Cruz – Pedro Hestnes

Passou a alguns metros de onde eu estava; não o via há anos e nem sei qual a última vez que com ele falara Não o reconheci de imediato e bastou essa dúvida para criar um hiato na linha dos olhares de repente cruzados dentro da tarde; receara decerto não ter sido por mim reconhecido … Continue lendo Gastão Cruz – Pedro Hestnes