Knut Hamsun – Em cem anos, tudo estará esquecido

Reviro-me insone por noites a fio, qual náufrago num barco adernando, e tudo por que tanto tenho sofrido ao fim sempre vem dar em pranto. Mas por que sofrer tanto? Em cem anos, tudo estará esquecido. Num sobressalto me vejo cantando personagem da própria labuta. Comungo com Deus qual gigante desperto e a mesa com … Continue lendo Knut Hamsun – Em cem anos, tudo estará esquecido