Federico Garcia Lorca – Pranto por Ignacio Sánchez Mejías

1. A captura e a morte Às cinco da tarde. Eram as cinco em ponto dessa tarde Um menino trouxe o lençol branco às cinco da tarde. Uma alcofa de cal já prevenida às cinco da tarde. O mais era só morte e apenas morte às cinco da tarde. O vento arrebatou os algodões às … Continue lendo Federico Garcia Lorca – Pranto por Ignacio Sánchez Mejías

Federico García Lorca – E Depois…

Os labirintos que criam o tempo se desvanecem.   (Só fica o deserto.)   O coração, fonte do desejo, se desvanece.   (Só fica o deserto)   A ilusão da aurora e os beijos se desvanecem.   Só fica o deserto. Um ondulado deserto.

Federico García Lorca – 1910 (Intermezzo)

Aqueles olhos meus de mil e novecentos e dez não viram enterrar os mortos, nem a feira de cinzas daquele que chora pela madrugada, nem o coração que treme acossado como um cavalo marinho. Aqueles olhos meus de mil e novecentos e dez viram a parede branca onde as meninas mijavam, o focinho do touro, … Continue lendo Federico García Lorca – 1910 (Intermezzo)