José Mateos – Canção 10

Canção 10 (Ruínas de Bolonha) Aqui, defronte ao mar, disse o sol do entardecer: Morrer é começar a revir. Trad.: Nelson Santander José Mateos - Canción 10 (Ruinas de Bolonia) Aquí, frente al mar, lo dice el sol del atardecer: Morir es empezar a volver.

José Mateos – Canção 1

Ainda quase um menino te sentaste a esperar à orla do grande silêncio. Pensavas que estando a sós com tua voz talvez pudesses roubar ao mar seu segredo. Foi-se tua juventude. Mudos passaram os anos e agora estás oco por dentro. Podias, se ao fim soasse a voz do grande silêncio, chegar a cantar seu … Continue lendo José Mateos – Canção 1

José Mateos – Caminhantes na Neblina

Símbolo da morte é esta neblina que hoje me envolve nos ecos do bosque solitário, que apaga os caminhos e tudo iguala, que faz mais longe o próximo? Assim será a morte? Ouvir ao lado as pessoas que amamos e não vê-las? Saber que em nossa casa nos aguardam, e não poder, e não saber … Continue lendo José Mateos – Caminhantes na Neblina

José Mateos – In Memoriam

   Para Pedro Sevilla Sempre, frente à dor, estamos sozinhos, não se quer viver, e tu sabes disso. Há um instante viste, na penumbra de um quarto de hospital, a mão hirta, seu rosto naufragado que o lençol cobriu. E era como mirar-se em um espelho e ver que somos menos que essa ausência, menos que … Continue lendo José Mateos – In Memoriam