Jacques Prévert – Bárbara

Lembra-te Bárbara Chovia em Brest sem cessar naquele dia Caminhavas à chuva sorridente radiosa encantadora deslumbrante Lembra-te Bárbara chovia em Brest sem cessar e eu passei por ti na Rua do Sião. Sorrias e eu sorria Lembra-te Bárbara tu a quem não conhecia tu que não me conhecias Lembra-te Lembra-te mesmo assim daquele dia Não … Continue lendo Jacques Prévert – Bárbara