Pablo Neruda – De “Cem Sonetos de Amor”

XII Plena mulher, maçã carnal, lua quente, Espesso aroma de algas, lodo e luz pisados, Que obscura claridade se abre entre tuas colunas? Que antiga noite o homem toca com seus sentidos? Ai, amar é uma viagem com água e com estrelas,  com ar opresso e bruscas tempestades de farinha: amar é um combate de … Continue lendo Pablo Neruda – De “Cem Sonetos de Amor”