Joan Margarit – Nada engrandece um velho

Nem essa violência com a qual desejoter sempre razão.Nem tampouco crer que a felicidadetem uma relação, sutil, com a mentira.Nem chegar a tero coração tão sujo como o meu,apesar de ter sido a guerra que o sujou.Minha paz deve ser uma falsa paz.Tampouco não abjurar a luxúriae a vaidade.Como podemos ser vaidosos, os velhos? Essa … Continue lendo Joan Margarit – Nada engrandece um velho

Javier Salvago – Variações sobre um velho tema

Os violinos de Verlaine. Os sonhados caminhos da tarde, de don Antonio.* Um velho cheiro de campo. Um velho cheiro de lápis e cadernos. O céu cinzento. O vento entre as árvores. A carícia das primeiras chuvas. A tristeza sem causa. A solidão sonora. A noite, cada vez mais escura e prolongada. Um cigarro que, … Continue lendo Javier Salvago – Variações sobre um velho tema

Jorge Valdés Díaz-Vélez – Ex libris

Eu reli novamente aqueles versosque falavam de amor e que lemosna noite em que ardeu Troia e nos perdemosno fundo de seus negros universos. Ouvi em cada folha os maciosrelevos de tua pele em que achamoshaver bebido ao sol em seus racemose ao mar que refletia em seus cicios fartos nossa ascensão ao precipício.Fareja-se a … Continue lendo Jorge Valdés Díaz-Vélez – Ex libris

Francisco Brines – Ardemos na floresta

Mas como conhecer, sem o olhar,a beleza da floresta, a grandeza do mar? A floresta estava atrás de mim; meus ouvidosa conheciam: o farfalhar de suas folhas,a confusão do canto de seus pássaros.Sons que vinham de um remoto lugar.E o mar do outro lado, golpeandosua fronte, sem roça-la,cobrindo-a de gotas. Era minha peleque descobria seu … Continue lendo Francisco Brines – Ardemos na floresta

Juan Vicente Piqueras – Proposta de epitáfio

"Proposta de epitáfio", um poema de Juan Vicente Piqueras Quando criança, eu era imortal. Adolescente, me rebelei contra o que agora sou. Quando jovem, eu era selvagem. Fiz sofrer e sofri muito mais do que eu queria.

Javier Salvago – Tesouro divino

A juventude passou.Tudo está bem quando acaba.Não voltaria a ser jovemnem que me pagassem. Começar a andar de novopelo caminho trilhadodos sonhos ilusóriose das verdades vagas? Começar de novocom as velhas batalhase suas velhas feridas?Voltar aos velhos hábitos, à noite, ao inferno,ao gosto pela vidamá? Fazer de tudoo que é comédia um drama? Voltar a … Continue lendo Javier Salvago – Tesouro divino

Óscar Hahn – Abalo sísmico

"Abalo Sísmico", um poema de Óscar Hahn Tive uma vez um grande amor que derrubou minha casa trincou minhas pontes e me fez perder o equilíbrio. Depois, vieram as réplicas:

Antonio Pérez Morte – Para Berta

"Para Berta", um poema de Antonio Pérez Morte Para restabelecer a infância, uma bola de gude. Para a adolescência um beijo, um verso, uma esperança.

Javier Salvago – Quinta-feira Santa

"Quinta-feira Santa", um poema de Javier Salvago.

A mesma lua, o mesmo
aroma de laranjeiras
perfumando as ruas,
onde a vida explode

em uma multidão de corpos
que se atraem e se procuram. (...)