Josep M. Rodríguez – Talvez Amor

Abro o guarda-chuva            e é um sol escuro. Manhã de São João. O asfalto reluz como uma língua suja e as gotas de chuva soam como mosquitos contra o vidro do carro. Atravesso a rua, só me cruzo com desconhecidos. Quantas vezes parado num semáforo, no balcão de um bar            ou numa livraria não teremos … Continue lendo Josep M. Rodríguez – Talvez Amor

Josep M. Rodríguez – Equação

De pé neste penhasco, aceito a mentira da paisagem. Tudo é inacessível: o orvalho      – que é suor vegetal – e o comboio que passa. Uma cegonha voa a preto e branco. Tem o seu ninho no cimo da igreja que fica junto ao cemitério. Estranho paradoxo, a pedra testemunha a fugacidade, a carne é … Continue lendo Josep M. Rodríguez – Equação

Josep M. Rodríguez – Primeira Visita ao Zoológico

Tinha doze anos e a minha mãe me presenteava com um mundo só para mim: - Se a tristeza fosse um animal? - Se a tristeza fosse um animal... seria um besouro. E dizia-lhe então que havia dias em que esse besouro fabricava uma bola muito grande na minha garganta. Os olhos da minha mãe … Continue lendo Josep M. Rodríguez – Primeira Visita ao Zoológico