Rui Diniz – O desaguar dos crepúsculos no Ebro

Eu estava presente quando o corpo do hernandez deu à costa. Era um corpo magro e extraordinariamente roxo, evocava os últimos dias da sua vida, quando se demorava o menos possível nos cafés de barcelona, perseguido até por si próprio. De facto a loucura procurava-o lentamente. Durante a noite, em tempo de lua cheia, a … Continue lendo Rui Diniz – O desaguar dos crepúsculos no Ebro