Eucanaã Ferraz – De “Orelhas” (1)

Estão certas todas as canções banais letras convencionais seus corações como são de praxe; estão certos os poemas enfáticos inchados de artifícios à luz óbvia da lua ou de estúpidos crepúsculos; os sonetos mal alinhavados toscos estão certos bem como as confissões íntimas não lapidadas reles nem polidas; ouçamos o que dizem sobre qualquer coisa; … Continue lendo Eucanaã Ferraz – De “Orelhas” (1)

Eucanaã Ferraz – Sob a luz feroz do teu rosto

Amar um leão usa-se pouco, porque não pode afagá-lo o nosso desejo de afagá-lo, como tantas vezes cão ou gato aceitam-nos a mão a deslizar sobre seu pelo; amar um leão não se devia, agora que já não somos divinos, quando a flauta que tudo encantaria, gentes animais pedras, nós a quebramos contra a ventania; … Continue lendo Eucanaã Ferraz – Sob a luz feroz do teu rosto