Heinrich Heine – Chegou a morte

Chegou a morte – agora vou Dizer o que o orgulho não Me permitiu: meu coração Tão só por ti pulsou, pulsou. Já estou fechado no ataúde, Descem-me à cova. A calmaria Me abraça enfim, mas tu, Maria, Por mim irás, muito amiúde, Chorar, e pra quê, afinal? Consola-te, este é o destino Humano: o … Continue lendo Heinrich Heine – Chegou a morte

Heinrich Heine – “Larga as parábolas sagradas”

Larga as parábolas sagradas, Deixa as hipóteses devotas, E põe-te em busca das respostas Para as questões mais complicadas. Por que se arrasta miserável O justo carregando a cruz, Enquanto, impune, em seu cavalo, Desfila o ímpio de arcabuz? De quem é a culpa? Jeová Talvez não seja assim tão forte? Ou será Ele o … Continue lendo Heinrich Heine – “Larga as parábolas sagradas”

Heinrich Heine – Morfina

É grande a semelhança desses dois jovens e belos vultos, muito embora um pareça mais pálido e severo ou, posso até dizer, bem mais distinto do que o outro, o que, terno, me abraçava. Havia em seu sorriso tanto afeto, carinho e, nos seus olhos,tanta paz! Ornada de papoulas, sua fronte tocava a minha, às … Continue lendo Heinrich Heine – Morfina