Carmen Conde – Declaro que está morto e que seu túmulo

Declaro que está morto e que seu túmulo está dentro de mim; sou sua mortalha. A ninguém se enterrou porque seu trânsito no tempo foi de loucas esperanças. Circundam o contorno desta cova - quente é a vinha que escala as paredes - os pâmpanos mais tenros e suculentos que arrancam do silêncio seu tumulto. … Continue lendo Carmen Conde – Declaro que está morto e que seu túmulo