Garcilaso de la Vega – Soneto XXIII

Enquanto que de rosa e de açucena se mostra toda a cor neste teu rosto, enquanto o teu olhar ardente, honesto, acende o coração e o serena; e enquanto o teu cabelo, que das franjas do ouro se escolheu, com voo presto, sobre o formoso colo branco, ereto, o vento move, espalha e desarranja: colhe … Continue lendo Garcilaso de la Vega – Soneto XXIII

José Lino Grünewald – Soneto Burocrático

Salvo melhor juízo doravante, Dessarte, data vênia, por suposto, Por outro lado, maximé, isso posto, Todavia deveras, não obstante Pelo presente, atenciosamente, Pede deferimento sobretudo, Nestes termos, quiçá, aliás, contudo Cordialmente alhures entrementes Sub-roga ao alvedrio ou outrossim Amiúde nesse ínterim, senão Mediante qual mormente, oxalá quão Via de regra te-lo-ão enfim Ipso facto outorgado, … Continue lendo José Lino Grünewald – Soneto Burocrático

Petrarca – Soneto CXXXIII (“O Amor me Assinalou com sua Seta”)

O amor me assinalou com sua seta, como a neve ao sol, como a cera ao fogo, como névoa ao vento; e já estou rouco, dama, de humilhar-me, feito um pateta. De teus olhos o golpe mortal veio, contra o qual tempo e espaço nada são; Vêm de ti, e vês como diversão, o sol, … Continue lendo Petrarca – Soneto CXXXIII (“O Amor me Assinalou com sua Seta”)

Petrarca – Soneto CCLXXII

A vida foge e não recua um passo E a morte, em grande marcha, vai em frente; As coisas do passado e do presente, Ao futuro reclamam meu espaço. A jornada que nesta vida eu traço Na espera e na lembrança inutilmente, Por pena de mim mesmo descontente Este caminho que ora fiz, desfaço. Se … Continue lendo Petrarca – Soneto CCLXXII

Pablo Neruda – De “Cem Sonetos de Amor”

XII Plena mulher, maçã carnal, lua quente, Espesso aroma de algas, lodo e luz pisados, Que obscura claridade se abre entre tuas colunas? Que antiga noite o homem toca com seus sentidos? Ai, amar é uma viagem com água e com estrelas,  com ar opresso e bruscas tempestades de farinha: amar é um combate de … Continue lendo Pablo Neruda – De “Cem Sonetos de Amor”

Vinicius de Moraes – Soneto de Quarta Feira de Cinzas

Por seres quem me foste, grave e pura Em tão doce surpresa conquistada Por seres uma branca criatura De uma brancura de manhã raiada Por seres de uma rara formosura Malgrado a vida dura e atormentada Por seres mais que a simples aventura E menos que a constante namorada Porque te vi nascer de mim … Continue lendo Vinicius de Moraes – Soneto de Quarta Feira de Cinzas

Paulo Henriques Britto – De “Seis Sonetos Soturnos”

I A qualquer hora, o que se chama vida pode mudar da água pro vinho. Ou vice- -versa. Cada palavra proferida — uma sentença grave, uma tolice — pode retornar feito um bumerangue capaz de destruir o que encontrar. E nada que se funde em carne e sangue escapa dessas bólides de ar: o amor … Continue lendo Paulo Henriques Britto – De “Seis Sonetos Soturnos”

Paulo Henriques Britto – Soneto Inglês

A surpresa do amor — quando já não se espera do mundo nada em especial, e a evidência de que os anos vão se acumulando sem nenhum sinal de sentido já não dói nem comove — quando em matéria de felicidade não se deseja mais que uns nove metros quadrados de privacidade para abrigar os … Continue lendo Paulo Henriques Britto – Soneto Inglês

Jules Laforgue – Mediocridade

No infinito coberto de eternas belezas, Como átomo perdido, incerto, solitário, Um planeta chamado Terra, dias contados, Voa com os seus vermes sobre as profundezas. Filhos sem cor, febris, ao jugo do trabalho, Marchando, indiferentes ao grande mistério, E quando um dos seus é enterrado, já sérios, Saúdam-no. Do torpor não são arrancados. Viver, morrer, … Continue lendo Jules Laforgue – Mediocridade

Olavo Bilac – Nell Mezzo Del Camin

Cheguei. Chegaste. Vinhas fatigada E triste, e triste e fatigado eu vinha. Tinhas a alma de sonhos povoada, E a alma de sonhos povoada eu tinha… E paramos de súbito na estrada Da vida: longos anos, presa à minha A tua mão, a vista deslumbrada Tive da luz que teu olhar continha. Hoje, segues de … Continue lendo Olavo Bilac – Nell Mezzo Del Camin