Ricardo Domeneck – Doentes

Doentes. Nós, todos doentes. Há tanto doentes todos. Nós. Pungidos, conquanto impunes. Não, não impunes. Não se constrói impune a casa sobre covas. Não se ergue o prédio em grão-cemitério. Não sem velar e lavar carinhosos e doridos os ossos e os dentes. Não impunes. Doentes de cada gota derramada. Por nós ou avós. Os … Continue lendo Ricardo Domeneck – Doentes