T. S. Eliot – A Terra Desolada

    A TERRA DESOLADA        1922     Nam Sibyllam quidem Cumis ego ipse     oculis meis vidi in ampulla pendere,     et cum illi pueri dicerent: Σίβνλλα τί ϴέλεις;     respondebat illa: άπο ϴανεΐν ϴέλω.*        A Ezra Paound        Il miglior fabbro I. O ENTERRO DOS MORTOS  Abril é o mais cruel dos meses, germinando Lilases da terra morta, misturando Memória e … Continue lendo T. S. Eliot – A Terra Desolada

T. S. Eliot – A Viagem dos Magos

 “Foi um frio que nos colheu Na pior quadra do ano Para uma viagem, e longa era a viagem: Os caminhos enlameados e o tempo adverso Em pleno coração do inverno.” E os camelos escoriados, o casco em chagas, indóceis, Jaziam em meio à neve derretida. Foram momentos em que recordamos Os palácios estivais sobre … Continue lendo T. S. Eliot – A Viagem dos Magos

T. S. Eliot – Os Homens Ocos

     "A penny for the Old Guy"      (Um pêni para o Velho Guy) I Nós somos os homens ocos Os homens empalhados Uns nos outros amparados O elmo cheio de nada. Ai de nós! Nossas vozes dessecadas, Quando juntos sussurramos, São quietas e inexpressas Como o vento na relva seca Ou pés de ratos sobre cacos … Continue lendo T. S. Eliot – Os Homens Ocos

T. S. Eliot – Morte Pela Água

Flibas, o Fenício, há quinze dias morto, Deixou o grito das gaivotas, e a funda onda do mar         E o lucro e a perda. Uma corrente submarina Roeu seus ossos em sussurros. Como subiu caiu Varando o palco da velhice e juventude Rompendo os vagalhões.              Gentio ou Judeu Ó tu que giras o leme e miras … Continue lendo T. S. Eliot – Morte Pela Água

T. S. Eliot – Quatro Quartetos (Excertos): East Coker

Em meu princípio está meu fim. Uma após outras As casas se levantam e tombam, desmoronam, são ampliadas, Removidas, destruídas, restauradas, ou em seu lugar Surgem um campo aberto, uma usina ou um atalho. Velhas pedras para novas construções, velhas lenhas para novas chamas, Velhas chamas em cinzas convertidas, e cinzas sobre a terra semeada, … Continue lendo T. S. Eliot – Quatro Quartetos (Excertos): East Coker

T. S. Eliot – Quatro Quartetos (Excertos): Burnt Norton

                                    I O tempo presente e o tempo passado Estão ambos talvez presentes no tempo futuro E o tempo futuro contido no tempo passado. Se todo tempo é eternamente presente Todo tempo é irredimível. O que poderia ter … Continue lendo T. S. Eliot – Quatro Quartetos (Excertos): Burnt Norton