Czeslaw Milosz – Sobre anjos

Tudo foi tirado de vocês: túnica branca, asas, até mesmo a existência. Contudo, ainda acredito em vocês, mensageiros. Aqui, onde o mundo está virado do avesso, uma trama maciça bordada com astros e bestas, vocês passeiam, inspecionando as suturas confiáveis. Curta é sua estadia neste lugar: às vezes na hora matinal, se o céu está … Continue lendo Czeslaw Milosz – Sobre anjos

Czeslaw Milosz – Onde quer que esteja

Onde quer que esteja, em qualquer lugar na Terra, escondo dos outros a certeza de que n ã o s o u d a q u i. Como se tivesse sido enviado para absorver o máximo das cores, sons, cheiros, sabores, provar de tudo o que é reservado ao Homem, converter o vivido num registo … Continue lendo Czeslaw Milosz – Onde quer que esteja

Czeslaw Milosz – A queda

A morte de um homem é como a queda de uma poderosa nação Que teve valentes exércitos, capitães e profetas, E ricos portos e barcos em todos os mares, Mas agora não socorrerá nenhuma cidade sitiada, Não entrará em nenhuma aliança, Porque suas cidades estão vazias, sua população dispersa, Sua terra que certa vez proveu … Continue lendo Czeslaw Milosz – A queda

Czesław Miłosz – Uma descrição honesta de mim mesmo com um copo de whisky num aeroporto, digamos, em Minneapolis

Meus ouvidos captam cada vez menos as conversas, meus olhos vêm se tornando fracos, embora sigam insaciáveis. Vejo suas pernas em minissaias, em calças compridas, em tecidos ondulantes, Observo uma a uma, separadamente, suas bundas e coxas, acalentado por sonhos pornô. Velho depravado, é chegada a hora da cova, não dos jogos e folguedos da … Continue lendo Czesław Miłosz – Uma descrição honesta de mim mesmo com um copo de whisky num aeroporto, digamos, em Minneapolis