César Cantoni – O Tempo Irreparável

Quem, então, poderia imaginar? O certo é que meu pai está morto como se nunca houvesse estado vivo. Um dia gelaram suas mãos e os pés, e a casa se encheu de parentes, e minha mãe chorou, de joelhos, junto ao leito. Ainda lembro. Meu pai está morto ou já não existe, e não é … Continue lendo César Cantoni – O Tempo Irreparável

César Cantoni – Álbum de Família

Morreu meu pai, morreram meus avós, morreram meus tios de sangue e por afinidade. Uma família inteira de ferreiros, marceneiros, curtidores, pedreiros, jaz agora sem forças embaixo da terra. E eu, o mais inútil de todos, o que não sabe fazer nada com as mãos, logrei sobreviver impunemente para chorar diante de uma foto o … Continue lendo César Cantoni – Álbum de Família

César Cantoni – O mais digno em nós

Eu sempre pensei que os ossos, com seu brilho mineral de pedra polida pela chuva, são o que há de mais digno em nós: sobrevivem largamente à putrefação indecorosa da carne e não têm a malícia nem a maldade da alma. Trad.: Nelson Santander   César Cantoni - Lo más digno de nosotros Siempre pensé … Continue lendo César Cantoni – O mais digno em nós

César Cantoni – Uma Arte Invisível

O poeta caminha nu pelas ruas, mas ninguém o vê. O poeta vai ao cinema, desvia de putas, anda de ônibus, sempre nu, mas as pessoas olham para outro lado. O poeta não tem meios de chamar a atenção porque a poesia é uma arte invisível. A poesia se escreve sem palavras. Trad.: Nelson Santander … Continue lendo César Cantoni – Uma Arte Invisível