Paulo Nunes – A um antianjo

Em memória de Júlio Caixeta A mais longa distância que pode haver, esta que agora vai dos teus pés ao chão, não te fez mais leve: foi o mundo e nossas vidas que se soltaram.