Eunice de Souza – Primavera Relutante

os corrupiões dourados se foram. as mariquitas estão em silêncio. a última folha vermelha na amendoeira recusa o próprio outono. Trad.: Nelson Santander Reluctant Spring the golden orioles have gone. the warblers are silent. the last red leaf on the almond tree refuses to fall

Eunice de Souza – Alvorada 2

Falamos através de continentes. É pouco provável que nos voltemos a encontrar. Não posso fumar, não posso viajar, nenhuma felicidade claro. Sentindo um vento frio nas costas renunciamos à filosofia. Acabaram os amantes errantes, maridos, passarões não propriamente sensatos. Ainda temos a idade com que nos conhecemos. Trad.: Francisco José Craveiro de Carvalho

Eunice de Souza – Convite

Tenta-me com uma visão de colinas relva que é verde pavões tão vulgares como pardais. Podemos ler no pátio, diz ela, ouvindo o picapau às voltas com a sua árvore, admirar as rosas, colher fruta, contar estrelas. Traga a tia, os cães, o periquito, diz, escreva um ou dois poemas felizes. De vez em quando, … Continue lendo Eunice de Souza – Convite