Fernando Luis Chivite – “Abril é o mês mais cruel”

Às vezes, sem que nada pareça particularmente favorável - nem lúgubres violinos, nem a tarde tornando-se violeta e perigosa -       sente-se que a vida segue sendo estranha, e desenvolve senhas inéditas, desordena papéis, acende cigarros com uma inquietude excessiva, como querendo assegurar-se que o tempo não se deterá, que o olvido é só algo fortuito, … Continue lendo Fernando Luis Chivite – “Abril é o mês mais cruel”