Goliarda Sapienza – Sem título

Cumpriu-se. Concluiu-se. Terminou-se. Consumiu-se o incêndio. Findou-se. Fechou-se o círculo petrificado. Findou-se o tempo. Consumiu-se o delito. Queimou-se a lembrança. Cessou a angústia. Um manto de lava interditou todo crânio toda órbita esvaziada. Toda boca no grito interditou. Fechou-se o círculo. Nada atreve-se a singrar o silêncio de lava. As formigas rodeiam o fogo gasto … Continue lendo Goliarda Sapienza – Sem título

Goliarda Sapienza – Para minha mãe

Quando eu voltarserá noite fechadaQuando eu voltaras coisas estarão quietasNinguém vai me esperarnaquele leito de terraNinguém vai me acolhernaquele silêncio de terra Ninguém vai me consolarpor todas as partes já mortasque carrego em mimcom resignada impotênciaNinguém vai me consolarpelos instantes perdidospelos sons esquecidosque há tempoviajam ao meu lado e tornam densoo respiro, lamacenta a língua … Continue lendo Goliarda Sapienza – Para minha mãe