Wendell Berry – De “Sabbaths” (2001)

[...] III Peça ao mundo que revele sua quietude — não o silêncio das máquinas quando estão paradas, mas a verdadeira quietude pela qual canto dos pássaros, árvores, Uvularias, caracóis, nuvens, tempestades se tornam o que são, e nada mais. [...] V O vento do outono está aqui. Está em toda parte. Move todas as … Continue lendo Wendell Berry – De “Sabbaths” (2001)

Wendell Berry – Antes de escurecer

Da varanda ao entardecer eu vi um martim-pescador selvagem em um voo que ele só poderia estar realizando por prazer. Ele veio pelo rio, chapinhando contra o rosto turvo da água como uma pedra saltitante, passando adiante longe da vista. E ainda assim eu podia ouvir o chapinhar cada vez mais distante à medida que … Continue lendo Wendell Berry – Antes de escurecer

Wendell Berry – A Paz das Coisas Selvagens

Quando as dores do mundo crescem em mim e eu desperto na noite a um mínimo ruído temendo pelo que poderá ser de minha vida e das de meus filhos, eu saio e me deito onde o pato carolino descansa em sua beleza na água, e a garça se alimenta. Eu penetro na paz das … Continue lendo Wendell Berry – A Paz das Coisas Selvagens