Adelaide Ivánova – sobre uma foto no huffington post, em 01 de novembro de 2015

de que adianta esse pôster de madonna na parede da cozinha indicando de qual lado estou se na papua nova guiné continuam linchando mulheres a quem chamam de bruxa a papua pode até ser guiné mas nisso não tem nada de nova e se for para queimar uma mulher por bruxaria que queimem logo todas … Continue lendo Adelaide Ivánova – sobre uma foto no huffington post, em 01 de novembro de 2015

Adelaide Ivánova – os anos noventa

você não estava lá nas coisas mais decisivas da minha vida mas é assim mesmo: historiadores e arqueólogos nunca estiveram presentes pra testemunhar os levantes coletivos isso fazem os jornalistas e os videntes você era apenas um menino quando kurt cobain morreu nem poderia ainda saber o dano que causaria sua existência de crisálida taurino … Continue lendo Adelaide Ivánova – os anos noventa

Adelaide Ivánova – um poema pra italo

a vida tem estado mesmo dura vou poupar-te da ladainha sobre temer AfD #voltadilma e o caralho não ganhamos dos bancos em caruaru ou karlsruhe meu dinheiro e endereço: bloqueados a moça do balcão cagou pra mim ser cidadão não significa merda nenhuma mas é privilégio nessa europa genocida (e quando é que ela não … Continue lendo Adelaide Ivánova – um poema pra italo

Adelaide Ivánova – o elefante

quando johanna morreu tinha um ano e oito meses foi encontrada na piscina apertava um elefante na mão que sua mãe até hoje aperta muito embora o alzheimer lhe impeça de lembrar por que ela a mãe pulou na piscina ao ver johanna à deriva no ventinho do norte da renânia boiando na piscina que … Continue lendo Adelaide Ivánova – o elefante

Adelaide Ivánova – pro meu amante, quando atinge a maioridade

      pra Ewout meu bem, o meu lugar é onde você quer que ele seja       belchior saiba que você chegou no dia que belchior morreu e que eu dei pausa no 'coração selvagem' pra te ouvir falar – e deus você fala mais do que o homem da cobra – e que isso se chama amor, … Continue lendo Adelaide Ivánova – pro meu amante, quando atinge a maioridade