Elisa Lucinda – Do Efêmero Presente

Às vezes passo um dia e sinto que o perdi. Um dia sem importâncias dentro dele, sem fruto, sem feito, metade avião, metade hotel. Mas que mania é essa de querer que o pobre do dia seja sempre cheio de tarefas? Um dia escravinho, sofrendo na senzala calendário. Ora essa, tem gente que dorme quase … Continue lendo Elisa Lucinda – Do Efêmero Presente