Juan Luis Panero – Palavras e presságios

Voltar a alguns versos de Kaváfis, de Eliot, como quem regressa a uma casa que foi nossa anos atrás. Repetir as sílabas, iluminar os símbolos como cerradas salas, janelas empoeiradas que ocultam um jardim perdido, árvores da morte. Melancolia do regresso e medo do vazio, rangidos de madeira, agitar de sombras, e, de repente, em … Continue lendo Juan Luis Panero – Palavras e presságios

Juan Luis Panero – Mensagem de Antonio a Cleópatra

Mensagem de Antonio a Cleópatra I Elogiem outros tua adormecida beleza, a suavidade de tua pele em repouso, a medida perfeição de teus membros. Eu não vim para isso, vim somente para te penetrar pela frente e por detrás como um punhal atravessa a água transparente e afunda e se perde no poço sombrio. Mensagem … Continue lendo Juan Luis Panero – Mensagem de Antonio a Cleópatra

Juan Luis Panero – Epitáfio diante de um Espelho

Dura há de ser a vida para ti, que tuas crenças sacrificastes a uma estranha honradez, para ti, cuja única certeza é tua memória e, por isso, teu sepulcro mais infausto. Dura há de ser a vida, quando os anos passarem e destruírem por fim a ilusória pátria da tua adolescência, quando vires, como hoje, … Continue lendo Juan Luis Panero – Epitáfio diante de um Espelho