David Mourão-Ferreira – Testamento

Que fique só da minha vida um monumento de palavras Mas não de prata Nem de cinza Antes de lava Antes de nada Daquele nada que se aviva quando se arrisca uma viagem por entre os pântanos da ira além do sol das barricadas Ou quando um poço que cintila parece o tecto de uma … Continue lendo David Mourão-Ferreira – Testamento

David Mourão-Ferreira – Herança

Ouvir, ouvir de noite uma ambulância, E desejar que estejas a morrer; Fechar a porta à minha própria infância; Amigos, conhecidos, nem os ver; Quebrar nas mãos o aro da esperança; Mas de mim para mim depois dizer: "Calma! Quem nada espera tudo alcança..."; E guardar o revólver; e beber, A sós, o vinho que … Continue lendo David Mourão-Ferreira – Herança

David Mourão-Ferreira – Soneto do cativo

Se é sem dúvida Amor esta explosão De tantas sensações contraditórias; A sórdida mistura das memórias, Tão longe da verdade e da invenção; O espelho deformante; a profusão De frases insensatas, incensórias; A cúmplice partilha nas histórias Do que os outros dirão ou não dirão; Se é sem dúvida Amor a cobardia De buscar nos … Continue lendo David Mourão-Ferreira – Soneto do cativo

David Mourão-Ferreira – Praia do Paraíso

Era a primeira Vez que nus os nossos corpos Apesar da penumbra à vontade se olhavam Surpresos de saber que tinham tantos olhos Que podiam ser luz de tantos candelabros Era a primeira vez cerrados os estores Só o rumor do mar permanecera em casa E sabias a sal, e cheiravas a limos Que tivesses … Continue lendo David Mourão-Ferreira – Praia do Paraíso