May Swenson – Indagações

Corpo minha casa meu cavalo meu cão de caça o que farei quando você ruir Onde vou dormir Como vou montar O que vou caçar Onde posso ir sem minha montaria toda rápida e impaciente Como saberei se na mata à frente há perigos ou tesouros quando o corpo, meu cão capaz e sagaz, está … Continue lendo May Swenson – Indagações

Mary Oliver – A jornada

Um dia você finalmente soube o que tinha que fazer, e começou, embora as vozes à sua volta continuassem berrando seus maus conselhos - embora a casa toda começasse a tremer e você sentisse o velho puxão nos seus calcanhares. "Remende minha vida!" cada voz clamou. Mas você não parou. Você sabia o que tinha … Continue lendo Mary Oliver – A jornada

William Stafford – O sonho de agora

Quando acorda, da noite e dos outros sonhos, para o sonho de agora, você conduz o dia para fora das trevas como a uma chama. Quando a primavera acontece no norte e as flores desabrocham no solo e até adormecem, você alteia o verão com sua respiração para que ele não se perca jamais tão … Continue lendo William Stafford – O sonho de agora

Mary Oliver – Gansos selvagens

Você não tem que ser bom. Você não precisa atravessar o deserto de joelhos, por cem milhas, penitenciando-se. Você só tem que deixar o animal macio do seu corpo amar o que ele ama. Fale-me sobre o desespero, o seu, e eu lhe direi o meu. Enquanto isso, o mundo continua. Enquanto isso, o sol … Continue lendo Mary Oliver – Gansos selvagens

Juan Vicente Piqueras – A sala vazia

a Carlos Edmundo de Ory Era um de teus jogos favoritos. O que há em uma sala vazia?, perguntavas. Mantínhamo-nos em silêncio. O que há em uma sala vazia? Os que não conheciam o jogo às vezes diziam: nada, e tu dizias: não. Nada é nada, e eu disse o quê. Até que alguém dizia, … Continue lendo Juan Vicente Piqueras – A sala vazia

Chico Buarque e Cristovão Bastos – Todo sentimento

Preciso não dormir Até se consumar O tempo Da gente Preciso conduzir Um tempo de te amar Te amando devagar E urgentemente Pretendo descobrir No último momento Um tempo que refaz o que desfez Que recolhe todo o sentimento E bota no corpo uma outra vez Prometo te querer Até o amor cair Doente Doente … Continue lendo Chico Buarque e Cristovão Bastos – Todo sentimento

Raquel Lanseros – Invocação

Que não cresça jamais em minhas entranhas essa calma aparente chamada ceticismo Fuja eu do ressentimento, do cinismo, da imparcialidade dos ombros encolhidos. Creia eu sempre na vida Creia eu sempre nas minhas infinitas possibilidades. Enganem-me os cantos das sereias, que minha alma tenha sempre uma pitada de ingenuidade. Que nunca se pareça minha epiderme … Continue lendo Raquel Lanseros – Invocação

Juan Vicente Piqueras – Em um instante

(Para os amigos que ainda estão vivos,           mas desapareceram, onde quer que estejam,           com um abraço póstumo) As pessoas tendem a desaparecer. Um dia te fazem rir e no seguinte já não estão. Um dia te ligavam todos os dias para saber como estavas, e agora já nem te lembras de suas vozes. Um dia … Continue lendo Juan Vicente Piqueras – Em um instante

Fernando Assis Pacheco – Tentas, de longe

Tentas, de longe, dizer que estás aqui. Com peso triste caminha na rua o Outono. O meu coração debruça-se à janela a ver pessoas e carros, e as folhas caindo. Mastigo esta solidão como quando era pequeno e jantava diante dos pais zangados: devagar, ausente.

Sharon Olds – Uma semana mais tarde

Uma semana mais tarde, eu disse a um amigo: acho que nunca poderia escrever sobre isso. Talvez em um ano eu possa escrever alguma coisa. Há algo em mim que talvez algum dia possa ser escrito; por ora está dobrado, e dobrado, e dobrado, como um bilhete da escola. E em meu sonho alguém jogava … Continue lendo Sharon Olds – Uma semana mais tarde