Adelaide Ivánova – um poema pra italo

a vida tem estado mesmo dura
vou poupar-te da ladainha sobre temer
AfD
#voltadilma
e o caralho
não ganhamos dos bancos
em caruaru ou karlsruhe
meu dinheiro e endereço: bloqueados
a moça do balcão cagou pra mim
ser cidadão não significa merda nenhuma
mas é privilégio nessa europa genocida
(e quando é que ela não foi?)
ser branco nunca deixou de ser
no entanto
dão-me tapinhas nas costas
pelo meu alemão impecável
meu alemão não é impecável
mas como em relação às minhas
capacidades já que sou latina
são extremamente
baixas as expectativas
qualquer coisa que eu não faça muito mal
(pros seus parâmetros)
os surpreende
mal sabem eles que o último projeto
(meu e de outras mulheres)
é escavar com uma colherinha estes alicerces
até que despenque sobre as nossas cabeças
mas sobre as deles também
esta europa de humanistas autodeclarados
morreremos todos
está claro
mas ninguém vai pro céu
(aprendi contigo)
e eu acho é pouco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s