Alberto Pucheu – Poema para a catástrofe do nosso tempo

"Poema para a catástrofe do nosso tempo", um poema de Alberto Pucheu Amanhã não será um dia melhor do que hoje, que não é um dia melhor do que ontem. (...)

Javier Salvago – Quinta-feira Santa

"Quinta-feira Santa", um poema de Javier Salvago.

A mesma lua, o mesmo
aroma de laranjeiras
perfumando as ruas,
onde a vida explode

em uma multidão de corpos
que se atraem e se procuram. (...)

Miller Williams – Poema de amor com torrada

"Poema de amor com torrada", um poema de Miller Williams Parte do que fazemos, fazemos para que as coisas aconteçam, o alarme para nos acordar, o café para preparar, o carro para ligar.

Jane Hirshfield – Um destino macio

Um destino macio, um poema de Jane Hirshfield. Há muito tempo, alguém me disse: evite o ou Isso inquieta a mente como um pedaço de carne estendido perturba um cão. (...)

Leslie McGrath – Corpus

Corpus, um poema de Leslie McGrath.

Depois que lavaram meu corpo
e enfiaram meus braços nas mangas
de um vestido que comprei nos anos trinta
em um mercado de Cuernavaca, eles circundaram
um rosário em minhas mãos postas. (...)

Edgar Allan Poe – “O corvo” e “A filosofia da composição”

Leia "O Corvo", o clássico poema de Edgar Allan Poe (na genial tradução de Milton Amado), e, na sequência, "A Filosofia da Composição", o ensaio fundamental no qual o autor desvenda, passo a passo, os caminhos percorridos desde a ideia inicial até os detalhes que emprestam coerência e sentido ao texto poético.

William Butler Yeats – “When you are old and grey and full of sleep” em 4 traduções

"When you are old and grey and full of sleep", poema de William Butler Yeats, nas traduções de José Agostinho Baptista, Adriano Nunes, Paulo Vizioli e Jorge Wanderley

Jorge Valdés Días-Vélez – O olival

"O olival", um poema de Jorge Valdés Días-Vélez Não direi a oração que se pronuncia em outras ocasiões como esta. Eu vim para enterrar-te. E o meu silêncio é o outro lugar para onde foste. Porque não há mais verdade do que a tua memória e nada a dizer que tu não saibas (...)

William Stafford – No monumento não-nacional ao longo da fronteira canadense

No monumento não-nacional ao longo da fronteira canadense, um poema de William Stafford