Jules Laforgue – Mediocridade

No infinito coberto de eternas belezas, Como átomo perdido, incerto, solitário, Um planeta chamado Terra, dias contados, Voa com os seus vermes sobre as profundezas. Filhos sem cor, febris, ao jugo do trabalho, Marchando, indiferentes ao grande mistério, E quando um dos seus é enterrado, já sérios, Saúdam-no. Do torpor não são arrancados. Viver, morrer, … Continue lendo Jules Laforgue – Mediocridade