Pattiann Rogers – Perspectiva de alcance

Lá em cima, longe desta estrada,
Longe das partículas de geada
Que revestem a casca de cada gravanço,
E do rijo inseto arqueiro em seu avanço
Na escuridão da manhã, pata farpada por pata farpada,
Subindo pela haste do trillium,
Diretamente ao longo do céu sobre esta estrada agora,
As galáxias do aglomerado de Cygnus A
Estão colidindo umas com as outras em um enxame maciço
De catástrofes interpenetrantes e explosivas.
Eu tento me lembrar disso.

E mesmo no fingimento violeta e dourado
Da noite, eu me esforço em recordar
Que levaria 40 mil anos cheios de ajuntamentos
e quedas de folhas, cheios de polpa rachando
E do duro enrugamento da semente, de ascensão
Das fibras das madeiras e de desintegração das florestas,
Deste lago desaparecendo completamente nos corpos
Lamacentos dos sapos e dos refúgios das lentilhas-d´água,
40 mil anos e a coisa mais veloz que possuímos
Para alcançar a estrela mais próxima de nós.

E quando você fala assim comigo
Eu tento me lembrar que as paredes de madeira e de cimento
Desta sala estão sendo varridas neste momento,
Molécula por molécula, por um vento lento e contínuo,
E que nada separa nossos corpos
Do vasto vazio em expansão, e sei que
Estamos sentados em nossas cadeiras
Dialogando no meio da escuridão do espaço.

E quando você olha para mim
Eu tento me lembrar que, neste momento,
Em algum lugar milhões de milhas na penumbra além
Do sol, o cometa de Biela, acelerando
Em suas rochas e gelos, está apenas começando a entrar
No arco mais amplo de sua elíptica curva.

Trad.: Nelson Santander

Achieving Perspective

Straight up away from this road
Away from the fitted particles of frost
Coating the hull of each chick pea,
And the stiff archer bug making its way
In the morning dark, toe hair by toe hair,
Up the stem of the trillium,
Straight up through the sky above this road right now,
The galaxies of the Cygnus A cluster
Are colliding with each other in a massive swarm
Of interpenetrating and exploding catastrophes.
I try to remember that.

And even in the gold and purple pretense
Of evening, I make myself remember
That it would take 40,000 years full of gathering
Into leaf and dropping, full of pulp splitting
And the hard wrinkling of seed, of the rising up
Of wood fibers and the disintegration of forests,
Of this lake disappearing completely in the bodies
Of toad slush and duckweed rock,
40,000 years and the fastest thing we own,
To reach the one star nearest to us.

And when you speak to me like this,
I try to remember that the wood and cement walls
Of this room are being swept away now,
Molecule by molecule, in a slow and steady wind,
And nothing at all separates our bodies
From the vast emptiness expanding, and I know
We are sitting in our chairs
Discoursing in the middle of the blackness of space.

And when you look at me
I try to recall that at this moment
Somewhere millions of miles beyond the dimness
Of the sun, the comet Biela, speeding
In its rocks and ices, is just beginning to enter
The widest arc of its elliptical turn.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s