Denise Levertov – Conversando com a dor

Ah, dor, eu não deveria trata-la
como um cão vira-latas
que vem à porta dos fundos
por uma migalha, por um osso descarnado.
Eu deveria confiar em você.

Eu deveria persuadi-la
a entrar em casa e dar-lhe
o seu próprio canto,
um tapete usado para se deitar,
sua própria tigela de água.

Você pensa que eu não sei que você está morando
embaixo do meu alpendre.
Você anseia que o seu verdadeiro lugar esteja preparado
antes que chegue o inverno. Você precisa
do seu nome,
da uma coleira e um identificador. Você precisa
do direito de alertar os intrusos,
de considerar minha a sua casa
e a mim sua dona
e você mesma
minha próprio cadela.

Trad.: Nelson Santander

Talking to Grief

Ah, grief, I should not treat you
like a homeless dog
who comes to the back door
for a crust, for a meatless bone.
I should trust you.

I should coax you
into the house and give you
your own corner,
a worn mat to lie on,
your own water dish.

You think I don’t know you’ve been living
under my porch.
You long for your real place to be readied
before winter comes. You need
your name,
your collar and tag. You need
the right to warn off intruders,
to consider my house your own
and me your person
and yourself
my own dog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s