Louise Glück – Matinas (3)

Perdoe-me se eu disser que o amo: os poderosos sempre mentem já que os fracos são sempre guiados pelo pânico. Eu não posso amar o que não consigo conceber, e você revela praticamente nada: você é como o espinheiro, sempre a mesma coisa no mesmo lugar, ou está mais para a dedaleira, inconsistente, brotando primeiro … Continue lendo Louise Glück – Matinas (3)