Sara Teasdale – Chegarão chuvas suaves

(Tempos de Guerra)

Chegarão chuvas suaves e o cheiro de chão,
E andorinhas revoando, seus rútilos sons;

E sapos nos brejos cantarolando na noite,
E ameixeiras silvestres em seu branco oscilante,

Tordos trajarão incandescentes ornamentos
Trinando seus caprichos em baixos tapamentos;

E ninguém então saberá da guerra, ninguém
Se importará quando ela terminar enfim.

Ninguém se importaria, nem árvore nem ave,
Se os homens morressem em sua totalidade;

E a própria primavera, ao acordar na aurora,
Sequer perceberia se fôssemos embora.

Trad.: Nelson Santander

There will come soft rains

(War Time)

There will come soft rains and the smell of the ground,
And swallows circling with their shimmering sound;

And frogs in the pools singing at night,
And wild plum trees in tremulous white,

Robins will wear their feathery fire
Whistling their whims on a low fence-wire;

And not one will know of the war, not one
Will care at last when it is done.

Not one would mind, neither bird nor tree
If mankind perished utterly;

And Spring herself, when she woke at dawn,
Would scarcely know that we were gone.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s