Mary Oliver – Quando estou entre as árvores

Quando estou entre as árvores,
especialmente entre os salgueiros e os espinheiros-da-virgínia,
mas também entre as faias, os carvalhos e os pinheiros,
elas emitem tantos sinais de alegria.
Eu quase diria que elas me salvam, e diariamente.
Estou tão distante de minhas expectativas sobre mim mesma,
nas quais eu reúno bondade, e discernimento,
e nunca me apresso no mundo,
mas caminho lentamente, e com frequência me curvo.
À minha volta, as árvores agitam suas folhas
e bradam: “Fique mais um pouco.”
A luz flui de seus ramos.
E elas convidam novamente: “É simples,” elas dizem,
“e você também veio
ao mundo para isso, para ir devagar, para ser preenchida
com luz, e para brilhar.”

Trad.: Nelson Santander

Conheça outros livros de Mary Oliver clicando aqui

When I am among the trees

When I am among the trees,
especially the willows and the honey locust,
equally the beech, the oaks and the pines,
they give off such hints of gladness.
I would almost say that they save me, and daily.
I am so distant from the hope of myself,
in which I have goodness, and discernment,
and never hurry through the world
but walk slowly, and bow often.
Around me the trees stir in their leaves
and call out, “Stay awhile.”
The light flows from their branches.
And they call again, “It’s simple,” they say,
“and you too have come
into the world to do this, to go easy, to be filled
with light, and to shine.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s