Louise Glück – Setembro crepuscular

Eu os reuni,
eu posso dispensa-los —

Estou farto de vocês, caos
do mundo dos vivos —
Eu só posso me estender
por um tempo a uma coisa viva.

Convoquei-os para a existência
abrindo minha boca, levantando
meu dedo mindinho,

áster azul
cintilante, flor
de lírio, imenso,
com veios dourados —

Vocês vêm e vão; eventualmente
esqueço seus nomes.
Vocês vêm e vão, e cada um de vocês
falhou de alguma forma,
comprometeu-se de alguma forma: vocês valem
uma vida, não mais do que isso.

Eu os reuni;
eu posso apaga-los
como se fossem um rascunho a ser jogado fora,
um pequeno exercício

porque eu terminei vocês, visão
do luto mais profundo.

Trad.: Nelson Santander

September twilight

I gathered you together,
I can dispense with you —

I’m tired of you, chaos
of the living world —
I can only extend myself
for so long to a living thing.

I summoned you into existence
by opening my mouth, by lifting
my little finger, shimmering

blues of the wild
aster, blossom
of the lily, immense,
gold-veined —

you come and go; eventually
I forget your names.
You come and go, every one of you
flawed in some way,
in some way compromised: you are worth
one life, no more than that.

I gathered you together;
I can erase you
as though you were a draft to be thrown away,
an exercise

because I’ve finished you, vision
of deepest mourning.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s