William Butler Yeats – “When you are old and grey and full of sleep” em 4 traduções

"When you are old and grey and full of sleep", poema de William Butler Yeats, nas traduções de José Agostinho Baptista, Adriano Nunes, Paulo Vizioli e Jorge Wanderley

Wilfred Owen – Futilidade

Coloquem-no à luz do sol... Em casa Seu toque gentil o acordava com a lembrança De campos ainda por plantar... O sol o acordou sempre, até na França, Até chegarem a manhã de hoje e a neve que aí está. Se alguma coisa pode acorda-lo agora, Só o velho sol saberá. Lembrem que também acorda … Continue lendo Wilfred Owen – Futilidade

Walter de la Mare – Os que ouviam

"Está aí alguém?", disse o Viajante   Batendo à porta de luar; A relva, chão de fetos da floresta,   Pôs-se o cavalo a devorar. Sobre a cabeça do Viajante, um pássaro   Voou da torre para além. E ele feriu a porta uma outra vez,   Dizendo: "Está aí alguém?" Do peitoril da janela, ninguém   Desceu até o … Continue lendo Walter de la Mare – Os que ouviam

Charles Bukowski – Um poema de amor

todas as mulheres todos os beijos delas as formas variadas como amam e falam e carecem. suas orelhas elas todas têm orelhas e gargantas e vestidos e sapatos e automóveis e ex- maridos. principalmente as mulheres são muito quentes elas me lembram a torrada amanteigada com a manteiga derretida nela. há uma aparência no olho: … Continue lendo Charles Bukowski – Um poema de amor

Charles Bukowski – Poema nos meus 43 anos

terminar sozinho no túmulo de um quarto sem cigarros nem bebida — careca como uma lâmpada, barrigudo, grisalho, e feliz por ter um quarto. …de manhã eles estão lá fora ganhando dinheiro: juízes, carpinteiros, encanadores , médicos, jornaleiros, guardas, barbeiros, lavadores de carro, dentistas, floristas, garçonetes, cozinheiros, motoristas de táxi… e você se vira para … Continue lendo Charles Bukowski – Poema nos meus 43 anos

Jorge Wanderley – Acerto de Contas

quando a geração de meu pai batia na minha a minha achava que era normal que a geração de cima só podia educar a de baixo batendo  quando a minha geração batia na de vocês ainda não sabia que estava errado mas a geração de vocês já sabia e cresceu odiando a geração de cima  … Continue lendo Jorge Wanderley – Acerto de Contas

Algernon Charles Swinburne – Uma Despedida

Vamos, canções, ela não ouviria Sigamos sem temor por nossa via. Silêncio, o tempo de cantar passou, Passou já tudo o que se quis um dia. Ela não quer o amor que nos marcou. Fôssemos a voz de um anjo em melodia E ela não ouviria. Vamos partir. Ela não saberia. Vamos ao mar, como … Continue lendo Algernon Charles Swinburne – Uma Despedida

William Butler Yeats – Quando Estiveres Grisalha e com Sono…

Quando estiveres grisalha e com sono, Dormitando ante o fogo, lê meu livro Bem lentamente e lembra o sensitivo Olhar que tinhas de suave abandono. Muitos amaram tuas alegrias, Tua beleza; mas só num culmina O amor por tua alma peregrina E a mágoa que teu rosto pressentia. Reclina-te ante as chamas; e ao vê-las … Continue lendo William Butler Yeats – Quando Estiveres Grisalha e com Sono…

William Butler Yeats – A Segunda Vinda

Girando em círculos sempre maiores Já não ouve o falcão ao falcoeiro; Tudo desaba; o próprio centro hesita; Livre, a anarquia reina sobre o mundo, Livre a maré sanguinolenta: em tudo Se afogam os rituais da inocência; Os melhores vacilam e os piores À intensidade passional se entregam. Na certa algo de novo se anuncia, … Continue lendo William Butler Yeats – A Segunda Vinda

D. H. Lawrence – Bons Maridos Fazem Mulheres Infelizes

Bons maridos fazem mulheres infelizes e maus maridos também fazem; mas a infelicidade de uma mulher de marido bom é muito mais arrasadora que a infelicidade de uma mulher de marido ruim. Trad.: Jorge Wanderley