Germana Zanettini – Centésimo trigésimo nono

no espelho do banheiro
não me reconheço
por vezes
vejo
todo mundo

percorro esse rosto
pouco

tateio
o mole dos
olhos o mármore dos
dentes o quente das
parcas narinas
lentamente me
asseguro:
estou viva
ainda

os fios já passam do pescoço
percebo
meu cabelo cresceu

o dos mortos também cresce
um pouco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s