Ted Kooser – Sobrevivente

Há dias em que o medo da morte
é tão onipresente quanto a luz. Ilumina
tudo. Sem ele, eu talvez não
tivesse notado esta pequena joaninha,
cintilante como uma gota de sangue
no peitoril branco da janela.
Sua cabeça não é maior do que um ponto,
seus olhos são como cabeças de alfinetes;
ela fez uma pausa para descansar,
joelhos travados, as carapaças ocultando
a delicada trama de suas asas.
À medida que dela se aproxima o medo da morte,
tão atenta a tudo o que vive,
as pequenas antenas param de se mover.

Trad.: Nelson Santander

Surviving

There are days when the fear of death
is as ubiquitous as light. It illuminates
everything. Without it, I might not
have noticed this ladybird beetle,
bright as a drop of blood
on the window’s white sill.
Her head no bigger than a period,
her eyes like needle points,
she has stopped for a moment to rest,
knees locked, wing covers hiding
the delicate lace of her wings.
As the fear of death, so attentive
to everything living, comes near her,
the tiny antennae stop moving.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s