Eunice de Souza – Convite

Tenta-me com uma visão de colinas
relva que é verde
pavões tão vulgares como pardais.

Podemos ler no pátio, diz ela,
ouvindo o picapau às voltas com a sua árvore,
admirar as rosas, colher fruta, contar estrelas.
Traga a tia, os cães, o periquito, diz,
escreva um ou dois poemas felizes.
De vez em quando, continua,
iremos até à aldeia
para sabermos como é que o mundo
não vai.

Trad.: Francisco José Craveiro de Carvalho

Invitation

She tempts me with the vision of hills
grass that’s green
peacecocks as common as sparrows

We can read in the courtyard, she says,
to the sound of the woodpecker working his tree,
admire her roses, pluck fruit, count stars.
Bring aunt, dogs, parakeet, she says,
writ a happy poem or two.
Once in a way, she says,
we’ll take a little walk to the village
to find out how the world’s
not getting on.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s